Pages

terça-feira, 8 de abril de 2008

Carta de Improviso I

Pode-se

Pode-se ser tão sutil
quanto a um pássaro
quando dispõe de seu vôo viril

Pode-se ser tão grandioso
quanto a uma nuvem desértica
perdida no azul-orgulhoso

Pode-se ser tão rude
quanto a um peixe
quando capturado ás margens de um açude

Pode-ser ser o que quiser
desde que não intervenha e não machuque
aquele que atrás vier.


*

Carta de improviso. Hehehehehe. Criei na hora do post. Não sei se passa alguma coisa.
Túdíbôm!

5 comentários:

Luly, Lin e Mayy disse...

...se a saudade for maior?

Gueixa® & Samurai® disse...

E eu gostei!
Boa semana.

Fabi disse...

Desde que não machuqye aquele que venha atrás...
Gentileza gera gentileza! ;)

Beijos.
Gostei muito.

Mariah só Mariah disse...

pode-se ser o que quiser. mas é muito perigoso chegar a essa conclusão sem antes saber o que faremos com todo o poder que temos.
boa sorte na sua escolha.
mariah

Amália disse...

ah adorei o último verso...muito bom mesmo
falou algo clichê mas sem parecer clichê hehehe
bjinhos