Pages

domingo, 2 de novembro de 2008

A gralha vaidosa


A gralha sempre acalentara o sonho de ser bonita como um pavão.

- Já sei! Vou aproveitar que os pavões estão em época de muda, colherei as penas que estão no chão e todos pensarão que sou um pavão!

E foi isso que ela fez. Ao admirar-se nas águas transparentes do lago, que refletiam seu novo visual, com penas e olhos nas pontas, a gralha achou-se o máximo. Pensando que ia abafar, foi ao encontro das outras gralhas.

Lá chegando, ao invés de elogios, ela recebeu muitas vaias e foi enxotada a bicadas.

- Fora! Fora! Se você não tem orgulho de ser uma de nós, vá procurar a sua turma - gritavam as gralhas em coro.

Enquanto saía às pressas dali, a gralha refletiu:

- É isso! Eu preciso encontrar minha nova turma.

E saiu em disparada ao encontro dos pavões.

Assim que viram aquela ave esquisita se aproximando, os pavões colocaram-na para correr.

- Fora! Fora! Você não é e nunca será um pavão!

E, assim, a gralha conseguiu apenas o desprezo de todas as aves.



Fábulas de Esopo, Jean de La Fontaine, adaptação de Lúcia Tulchinski



_________________________________________


Qual é a moral da estória?

7 comentários:

Fabi disse...

Amoure, nem li seu texto, mas eu volto, tô com pressa, rs... procura por Fabiana Victor no orkut, estou com um óculos de estampa de onça, só aparece os olhos, não tem outra!
Beijos, eu volto aqui, tá?
Obrigada pelo comentário, você é um doce...

Fabi disse...

Agora com mais calma...
Nunca fui das beldades da classe, os que conquistei, foi pelo papo! hahaha
Enfim, sou uma gralha assumidérrima!
hahahahaha

Beijas!!

Flávia B. disse...

ÓIA.

Dessa história eu não sei, mas da minha é que definitivamente HOJE eu me sinto uma gralha...

E o meme é easy: basta ir lá, copiar e postar quando quiser. só não deixe de me avisar :)

Beijos!

wakko disse...

Moral: temos que ser aquilo que somos, não tentar ser outra pessoa, que isso não dá certo.

Vaninha® disse...

Aceie-se do jeitinho que vc é.
Beijos.

Anne Kravitz disse...

Moral da história? Acho que o melhor é a gente se assumir como é, cada um é único, tem sua aparência e personalidade e não vale a pena viver buscando um ideal inalcançável...
Bjo ;-)

L.S. Alves disse...

Se ela é feliz usando penas de pavão, então que se danem os outros e o que eles pensam.
Um abraço e boa sorte.