Pages

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Memórias de um marinheiro

[...]

(Pedro imitando Ritinha)

"Pedro, você vai pra guerra?"

Vou! Quero dizer, não, Ritinha. Eu vou pro mar!

"Mas esses navios, vão pra guerra!"

Bobagem, Ritinha. O importante é que vou estar onde eu quero. Você também vai querer ir pra algum lugar onde se sinta bem. O meu, é o mar!

"Está bem, Pedrinho. Você está certo. Tem que ir em busca dos seus sonhos. Eu também vou atrás do meu!"

Qual é o seu, Ritinha?

"Ah! O meu? É ser atriz de cinema! De fazer grandes filmes: comédias, dramas... e romance!"
Romance, Ritinha? Você gosta?

"Sim, acho lindo. Ainda mais aqueles em que o mocinho é alto, forte e bonito. Pega a gente assim e lasca um beijo!"

Assim?

"Pare de sem-vergonhices, Pedro! Estava só dizendo como quero fazer um filme..."
Ritinha, antes de ir embora quero fazer uma coisa!

"O que é?"

Coisa de filme de romance.

"Que coisa?"

Ah você sabe... aquilo que eles fazem nos finais de filme!

"Não sei não, Pedro! Eu nunca assisti! Só estava comentando!"

Sabe sim, é coisa boba de mão com mão, braço com braço, boca com...

"Boca com a minha mão se você vier fazer graça! Você sabe que não tenho idade e não estou preparada."

Só mão com mão!

"Não!"

Dedo com dedo?

"Não!"

Unha com unha? Sim!

"Também não, bocó."

Então eu vou embora, dizer adeus pra Dorinha!

"Não! Volte aqui! Vamos, diga, como é que é esse negócio de mão com mão?"

(Pedro senta-se)

É assim, você põe a mão na minha perna e eu coloco a minha na sua. As mãos fazem carinho, os dedos se encontram até que eles deitam e o nosso compromisso ta selado.

(Faz tudo como dito, com as duas mãos.)

"Pronto, Pedro. Já deu."

Adeus, Ritinha.

"Espera, Pedro! Fica assim, de frente pra mim. Abra os braços e me abraça, Pedrinho! Me abraça!"

(Quando ele vê, está abraçado sozinho.)

Ritinha me deu uma foto nossa, e seu abraço mais gostoso. É abraço de papai de Noel na época de natal. Forte e gostoso, pra ver se o presente vem no dia vinte e cinco.
Depois me despedi dos amigos, do tio Dorival e da família lá de casa. Cada um me deu uma foto.
E a minha partida foi a mais linda.

(Pega a mala, surgem barulhos de navio e música animada. Pedro sobe em um plano e de frente, acena com as mãos dando adeus.)

--------------------------------------------
Fragmento do monólogo Memórias de um marinheiro. Quem fala é Pedro, marinheiro perdido em alto mar que lembra dos grandes momentos de sua vida. Esse é um dos meus trechos preferidos, quando se despede de Ritinha. Mais? Pede e eu posto.
Obrigado ao pessoal que me recebe muito bem na blogosfera! Estou linkando todos.
Até a próxima sessão!

3 comentários:

Leco Vilela disse...

Bonito!

Malu Paixão disse...

Q graça! Aplausos de pé!
mto obrigada pela visita em meu blog!
Sinta-se a vontade para voltar e dar sua opinião!
maravilhoso o seu blog!
beijos

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Obrigada pela visita e comentário
Que deixou no meu blogger apareça sempre
Abraços e um lindo dia